Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Mundo da Marta

Este é o meu mundo, o meu reflexo, tudo o que faz parte de mim.

O Mundo da Marta

Este é o meu mundo, o meu reflexo, tudo o que faz parte de mim.

Coisas a relembrar sobre esta Pandemia... Parte I

Tenho aprendido muito com este novo vírus, que de novo já quase nada tem, e com as alterações que o malvado nos trouxe às nossas vidas.

 

Antes uma palavra longínqua para muitos de nós, agora a palavra mais dita, por dia, em todos os media. QUARENTENA. Ali lado a lado com distanciamento social.

Veio como uma chapada para todos nós. Para uns juntamente com a realidade do teletrabalho, para outros com o tédio que pode envolver estar em casa sem poder sair e limitado em actividades, para outros... Com filhos!

 

E com filhos, meus senhores, tiro o chapéu a todos os casais que estão em cumulativo com teletrabalho e filhos. 

Tenho de facto muitos amigos com filhos e que estão nesta situação e RESPECT! É tudo o que tenho a dizer...

Vocês são um máximo, admiro-vos milhões, e estamos aqui para o que vier a seguir se quiserem simplesmente ter um fim-de-semana em paz... e pronto mandarem as pequeninas feras para outros lados, avós, tios, padrinhos... todos nós temos que fazer a nossa parte (outra frase muito dita hoje em dia).

Eu ja me tinha fechado num armário só para me esconder o bocadinho das palavras repetitivas e para ter um momento de silêncio e dó pela minha alma e pelo meu cérebro...

Saibam que o vosso esforço é admirado e que são sem dúvida um exemplo para o futuro. 

 

Pelas pessoas que estão em casa e que não podem fazer teletrabalho ou que simplesmente não trabalham... Ouço muitas formas de passar o tempo, eu tenho ali 6 livros morta por lhes por as mãos, pintar, exercício, cozinha, música, dançar... tanta coisa boa que podem fazer...

Eu só noto a diferença no tempo disponível no fim-de-semana, aí sim tento fazer estas coisas boas e que nos fazem aguentar o melhor possível esta quarentena e manter a sanidade mental.

Durante a semana é impossível, gostava mas não consigo, fazer workshops de maquilhagem as 10h da manhã, ver os 654665435121 milhões de directos no Instagram, as 1500 aulas de ginástica online (adorava mesmoooo) mas isto porque quem tem teletrabalho... enfim trabalha... 

E isto de se estar em teletrabalho tem muito que se diga... 

 

O meu sonho sempre foi poder trabalhar de casa, mas claro que mantendo a minha liberdade de movimentação... o que não é o caso... Por isso este não é DE TODO o cenário ideal. 

Pensava no entanto, no bom que seria levantar-me em cima do horário para começar, que não está a acontecer; trabalhar de pijama, também não está a acontecer; ter o meu espaço em casa e estar sossegada a trabalhar, este acontece mas aquele espaço fica associado ao trabalho e por isso tento distanciar-me dele o máximo possível fora do meu horário laboral... é tipo uma nuvem negra ali a pairar que evito olhar a seguir.

 

Ou seja nada tem a ver com o que imaginei... levanto-me com tempo para comer acordar com calma... para tomar duche e vestir-me... trabalhar de pijama descobri que é muito deprimente e tira qualquer tipo de vontade de... pronto trabalhar...

Por isso a realidade e o sonho são de facto diferentes, se alguns de vocês também tinham idealizado um cenário que não se concretizou contem-me para eu saber que não estou sozinha. 

 

Farto-me de ler que depois disto tudo vamos aprender, que depois vamos ficar diferentes...

Se acredito por um lado que sim, sei que o ser humano tem memória curta e há muita gente nesse mundo fora com a profundidade emocional de uma folha de papel... E que por isso muito se vão esquecer...

 

Por outro lado, esta pandemia trouxe algo de muito bom, se por um lado nos libertou de relações tóxicas e sem sentido, quem não estava lá continua a não estar e ninguém procura porque as prioridades são outras; por outro aproximou aqueles que sempre estiveram mais distantes ou menos... As vídeo chamadas, as mensagens, nem que sejam as mensagens só para parvar, ajudam a manter-nos próximos e a perceber o que realmente importa.

 

As saudades vêm ao de cima... valorizamos aqueles almoços de família, aqueles abraços apertadinhos, aqueles planos entre amigos que às vezes não passavam do "temos que combinar" e que depois disto espero que esta frase desaparece e seja substituída por "óptimo vamos neste dia e hora"... A liberdade de poder pegar no carro e ir visitar os que estão mais longe, ou de almoços combinamos à ultima da hora e em corrida para chegar a tempo só para podermos matar saudades.


Isto sim espero que o covid-19 nos ensine a valorizar, relações mais verdadeiras e puras, mais positivas, mais transparentes. 

E como no meio disto tudo ser positivo é importante é focar nisso...

Isto tudo irá passar e a seguir é matar saudades de tudo o que sentimos falta...

 

Eu é a família, a família de coração, os meus afilhados e sobrinhos lindos, a fotografia... os nossos restaurantes preferidos... o sair para apanhar sol... para ver o mar... perder-me a descobrir um sitio novo... um fim-de-semana fora...

 

Por aí é o quê?